terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Fragilidade...

Somos frágeis. Frágeis às menores ameaças... Estamos dia e noite vivendo ou, quem sabe, sobrevivendo a tudo que está ao nosso redor... A tudo que nos cerca, que nos acompanha diariamente, sobrevivemos a nós mesmos... Vida. Vida que se estampa em nossa frente. Aprendizado. Aprendemos, ou, ao menos, deveríamos aprender diariamente. Sonhos. Combustível pra vivermos a nossa vida. Verdades. Mentiras. Pressa. Palavras. Atitudes. Arrependimento. Saudade. Sentimentos. Coragem. Crescimento. Consciência. Amor. Ódio. Felicidade. Momentos. Paz. Tempo. Fé. Crença. Escolhas. Vida. Morte. Fragilidade... Continuamos sendo frágeis, pequenos, minúsculos, microscópicos frente ao destino. Insignificantes... E somos, eu, você, e tantos outros que desperdiçam momentos, que desperdiçam vida... A cada preocupação, a cada discussão, a cada mágoa e cada ressentimento, a cada medo, a cada maldita insegurança, a cada desconfiança, a cada crise de identidade, a cada palavra atravessada, a cada abraço não dado, a cada beijo guardado, a cada elogio calado, a cada raiva, a cada stress, a cada dia de sol, de vento, de chuva, de lua desperdiçado, a cada livro, música, filme, peça de teatro... A cada nova experiência não vivida, a cada telefonema não dado, a cada pedido de desculpas ignorado, a cada garrafa de vinho não brindada, a cada estrela cadente não vista, a cada briga, a cada sentimento negativo, a cada centavo, na falta de fé, de esperança, na falta de vontade, de perseverança, na dúvida, na difamação, no sim ou no não, em tudo, absolutamente tudo que não nos enobrece, aí está a nossa fragilidade, aí estamos perdendo tempo, estamos perdendo vida! Estamos jogando fora tudo de bom que nos foi dado: coisas, pessoas, momentos, situações... Sei, e como eu sei que não é fácil! Dia a dia, expostos a inúmeras situações, expostos aos nossos pensamentos, à nossa imaginação, à nossa expectativa, às nossas vontades, birras, desejos, à nossa verdade, à nossa opinião. Estamos certos! Não queremos contradição. Não queremos ouvir não. Não aceitamos não ter razão. E, assim, jogamos fora os momentos, jogamos fora os sorrisos, jogamos fora todas as oportunidades que reclamamos não receber. Existem momentos na vida em que é inevitável pensarmos nela, nas suas chances, nas diversas vezes em que a vida nos dá a chance de nos emendarmos, de aprendermos, de vivermos...  E que nós simplesmente deixamos passar... Quanta "vida" já deixamos escapar? Nunca é tarde pra olharmos para dentro de nós e procurarmos o que de bom está guardado, analisarmos nossa essência e percebermos verdadeiramente que não vale à pena perder tempo com coisas que não dependem de nós, nem com brigas, ofensas, discussões... Vamos seguir nossos caminhos para nunca, jamais podermos chorar por "palavras" não ditas, "adeus" não dados, "eu te amo" não pronunciados... Pode não haver segunda chance! Pode não haver amanhã! Viver. Amar. Falar. Compreender. A caminhada é mais leve quando compreendemos o caminho. O tempo voa. A vida passa. Tudo acaba. Vamos viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade pra deixar sua opinião! Ela é muito importante. Obrigada