quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Simples assim...

Todo começo é o fim de outro começo!A 363 dias atrás estávamos começando um novo ciclo, um novo ano que está chegando ao fim... E assim passam os dias, semanas, meses e anos... E assim reiniciamos nossa vida a cada 365 dias e o mais engraçado é que ao mesmo tempo em que nada muda, tudo muda! Renovamos nossa alegria, nossa vontade de viver, nossa vontade de mudar, de melhorar, de fazer tudo diferentemente igual! Passam as estações, aniversários, comemorações, e também passam tristezas, angústias e decepções, entram e saem pessoas das nossas vidas! Quantas risadas, quantas conversas, quantos livros, quantas experiências foram capazes de se tornar inesquecíveis neste ano que está chegando ao fim? Quantas coisas deixamos para trás? Como disse Stevie Jobs: "Cada sonho que você deixa pra trás é um pedaço do seu futuro que deixa de existir". Portanto, em 2012 não abandone seus sonhos, alimente-os, corra atrás dos seu objetivos e não se deixe vencer pelo cansaço! Lembre-se, são 365 dias, únicos e repletos de possibilidades... Todos os rituais do reveillon são inúteis se você não trás consigo o desejo de um ano de fato, novo! Nem ondas, nem cores, nem sementes, nem sabores... A força destes costumes depende da força do seu coração, faça tudo o que você acredita ser bom... Pule as 7 ondas, guarde as sementes da romã, use branco, vermelho, amarelo... Azul, verde, cor de rosa... Mas acredite e aplique as suas crenças ao seu dia dia.. Faça uma oração, uma prece, meditação, qualquer forma de agradecimento, independente da sua religião! Agradeça o ano que passou, agradeça até pelo que você não gostou! Foi isso que também te trouxe até aqui! Comemore, comemore muito... Vibre, se entregue ao momento mágico em que milhões de pessoas ao redor do mundo estão pensando em coisas boas, uma energia capaz de dissipar qualquer guerra ou sofrimento, pense no bem da humanidade, pense em seu próprio bem! Lembre dos seu amigos, dos familiares que não estarão com você na virada, lembre dos seus amores e ao invés de ódio ou rancor, deseje amor á todos que passarem por sua memória, o universo irá retribuir! Pode acreditar! Comece o ano com o pé direito e ao deixar 2011 pra trás, deixe com ele tudo o que te impede de ser feliz, sejam atitudes, coisas ou pessoas! Não é 2012 que tem que ser diferente, somos nós! Do fundo do meu coração agradeço a todos que aqui estiveram este ano e desejo que 2012 seja incrível e inspirador à todos nós! Obrigada e um Feliz Ano Novo!!!!!

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Cápsula do tempo...

A maneira mais simples, divertida e consciente de sabermos o que de fato nos é importante é imaginarmos que temos diante de nós uma cápsula do tempo, na qual podemos guardar pessoas, lembranças, acontecimentos que gostaríamos de deixar para as futuras gerações. Se você, agora, neste exato momento, tivesse que organizar esta cápsula, quais coisas da sua vida gostaria que nunca fossem esquecidas? O amanhecer de um dia de primavera? Um banho de mar ao fim do dia? A lua cheia? A gargalhada de uma criança? O semblante dos seus pais? O seu melhor amigo? O seu cachorro? A sua juventude? Algum conselho? Um livro? Um filme? Seu notebook? Uma vitória? O seu primeiro, último, único amor? O primeiro beijo? Saúde? Alguma música? Fotografias? Aromas? Sabores? "Aquele" abraço? Um arco-íris? Uma xícara de café? Uma barra de chocolate? (...) Pequenos prazeres! Sim, aqueles que enchem a nossa vida com cores, sorrisos, perfume, aquela saudade que quando sentida parece novamente vivenciada, nossas vitórias diárias, pequenas porções de alegria, um dia em paz, serenidade, sabedoria... Um par de meias, um moletom, a voz de alguém especial, um violão, seu velho all star, seu irmão... Estamos rodeados de pessoas e situações que não gostaríamos jamais de esquecer, estas são as pessoas e situações que você deve carregar na cápsula interna que lhe mantém vivo (a), o coração! Quando analisamos nossa vida em sua totalidade percebemos que velhos hábitos, problemas, tristezas, medos, tem a importância que damos a eles, não colocaríamos nada disso em nossa cápsula do tempo, logo, nada disso tem importância, não deixaríamos discussões, desentendimentos, ódio ou rancor para as futuras gerações, não deixaríamos doenças, tratamentos ou remédios, não deixaríamos ressentimentos nem o nome daqueles que por alguma razão nos magoaram, não deixaríamos mágoas! E, se não deixaríamos nada de ruim para as futuras gerações, por que ainda deixamos que estas coisas façam parte de nossas vidas? Algumas situações são inevitáveis e é fundamental que passemos por elas, que as enfrentemos, mas, nunca podemos esquecer que estas são situações passageiras, que surgiram e desaparecerão, não sabemos de que forma, mas sabemos que, o que importa é o que nós não abriríamos mão, portanto, lide com sua vida de forma consciente, mas saiba que você é muito mais do que as preocupações que carrega, você é e esta nas pequenas coisas que te alegram, você é parte de um universo que conspira a favor dos que acreditam nos seus sonhos, dos que não perdem a fé com os obstáculos e nem dos que esqueceram o que há de bom ao seu redor, você faz parte do plano da criação e como tal tem uma responsabilidade enorme por aqui! Você tem a chance de abrir diariamente a sua cápsula e acrescentar ou usufruir do que nela há de melhor. Uma dose diária de confiança, fé e esperança, de música, sorrisos e abraços, amor, gentileza, uma dose diária de pensamentos positivos e motivadores e assim, os problemas não irão desaparecer, mas, deixarão de ser o centro da sua atenção! E será possível olhar a vida com outros olhos! E sentir gratidão, e abraçar todas as chances que temos de evoluir, e sorrir, e genuinamente viver! Feliz reflexão!

domingo, 18 de dezembro de 2011

Prioridade!

Significa eleger o que vem em primeiro lugar, ou seja, o que mais importa para nós. Como algo relativamente simples é capaz de se tornar algo realmente complicado em nossas vidas? Perdemos tanto tempo priorizando coisas erradas, pessoas erradas, atitudes erradas, pensamentos errados, medos infundados, sofrimentos desnecessários, priorizamos, tantas vezes, o passado, nossos erros, nossa culpa, nos perguntamos "onde foi que eu errei?" ou "por que comigo?" e vamos dando forças a situações que já foram! Passaram. Prioridade! Algo que está no presente, no aqui, no agora, algo que deve ser levado a sério, qual a sua prioridade neste exato momento? Há aproximadamente dois anos atrás me dei conta de que eu não era prioridade em minha vida, e sim, tudo e todos ao meu redor, priorizava as vontades alheias, as necessidades alheias e ia esquecendo de mim, me frustrava, até o momento em que a vida veio e fez com que, obrigatoriamente, eu priorizasse a mim mesma, unicamente a mim, quando tive que me preocupar com minha saúde, e por vários momentos me perguntei por que até então eu não tinha percebido o quanto eu era importante, o quanto eu necessitava de mim mesma, da minha atenção! Por que eu havia deixado as coisas chegarem àquele ponto, meu corpo pediu um tempo, minha mente, meu espírito, eu estava cansada, e por alguns meses me preocupei única e exclusivamente comigo, o tempo passou, as coisas se ajeitaram e quando percebi, estava fazendo exatamente a mesma coisa, priorizando tudo ao meu redor, deixando minhas necessidades de lado para atender às vontades dos outros, chega! Egoísmo a parte, preciso de mim, da minha companhia, de atender aos meus desejos, de ficar no meu canto, de sentir a vida, de encarar as coisas de frente, organizar minhas emoções. Vinha num ritmo em que não tinha tempo de saber o que eu sentia, pois preenchia cada segundo do meu dia com alguma atividade. Fuga? Talvez tenha sido uma tática de camuflagem, camuflar as coisas com as quais eu não estava preparada para lidar! Pois eis que é chegada à hora de encarar as coisas de frente, olhar para o presente e vivê-lo da maneira que me é conveniente! Entre as minhas prioridades está à solidão, não a triste solidão a qual todos se referem, mas a solidão necessária para organizar as coisas dentro de mim, momentos só meus, ideias, sonhos, planos, sem nenhum compartilhamento, sem nenhuma opinião além da minha! Entre minhas prioridades está o silêncio, o silêncio necessário para ouvir meus pensamentos! Entre minhas prioridades está o prazer, o prazer que sinto ao atender aos meus pedidos, alcançar meus objetivos, me sentir realizada com as pequenas coisas que faço dia a dia! Entre as minhas prioridades está o amor, o amor por mim mesma, pela minha família, pela vida! Entre as minhas prioridades está escrever, escrever e a cada nova palavra alimentar a alma daqueles que buscam nutrir o espírito com boas vibrações! Em tudo ao nosso redor há um aprendizado, um sinal, um aviso, cabe a nós estarmos com os olhos voltados para o cotidiano, para o que se passa ao nosso redor, para o espelho! Nada, nem ninguém consegue ser tão verdadeiro quanto aquele que nos reflete! Aprenda uma nova lição a cada dia, busque respostas, mas não permita que estas respostas sejam tormentos em sua vida, apenas compreenda que esta foi a vida e as experiências que você escolheu, portanto, agradeça a cada nova oportunidade de aprender e por tantas chances que você tem para fazer isso! O que passou, não volta mais! Não vai mudar, nem se repetir, o que está por vir não está ao nosso alcance, a única coisa pela qual somos responsáveis é pelo agora, é no agora que moram todas as nossas oportunidades, é no agora que temos que ver quais as nossas prioridades e nos limitarmos a atendê-las, sem medo, nem culpa, pois esta é a única maneira de estarmos plenos, em comunhão com o que existe de mais sagrado (e indecifrado) neste universo! Viva mais, ame mais, sorria mais, aprenda mais e agradeça, agradeça muito mais! Não estamos aqui por acaso! Nem você, nem eu!

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Rascunho!

Amante de músicas e livros, me inspiro em ambos para compor minhas "emoções", é um "Dó" daqui, um "parágrafo" dali, e, quando percebo, minha mente está longe, voando em direções desconhecidas... "Eu hoje joguei tanta coisa fora, eu vi o meu passado passar por mim, cartas e fotografias, gente que foi embora, a casa fica bem melhor assim..." Quem nunca abusou do refrão dos Paralamas do Sucesso e resolveu limpar a casa, limpar a vida, jogar fora tanta coisa, que guardamos por tanto tempo... Que faltava coragem de mexer e ver, sentir, novamente, as mesmas cenas, as mesmas emoções... Mas hoje, hoje eu joguei muita coisa fora... E foi depois deste ato que eu me lembrei desta letra, e cantei, por longas horas a fio, e dancei, entoei o seu ritmo em minha arrumação e pensei, pensei nesta demora divina para que algo de novo aconteça, e foi ai que lembrei, de outra daquelas frases que trago comigo em stand by, "Deus não demora, Ele capricha" e a pressa passou, a ansiedade evaporou e a paz reinou novamente, e continuei cantando meu mantra do dia, pensando na "gravidade da lua, aonde o homem flutua", e foi pensando na lua que me lembrei do quanto eu gosto da lua, e de quanto tempo faz que eu não sento, lá, naquele lugar preferido, entre as pedras e o mar só pra contemplar o momento em que ela aparece, linda e majestosa pelo céu, é o tempo... Implacável, que corre e não nos dá chance de diferenciar o necessário para nos equilibrarmos! Ah os pés na areia, uma roda de amigos e umas palavras jogadas fora, e daí a gente pensa que era tudo o que precisava pra se sentir feliz de novo! Ah um violão, um amigo desafinado tocando e cantando enquanto outro improvisa com a gaita um arranjo pro momento, eis que as simples coisas da vida nos fazem viajar fundo dentro de nós e por um instante estamos livres, livres de nós mesmos, dos nossos pré conceitos, das nossas tristezas e esbanjamos no sorriso a alegria de uma criança, e é neste exato momento que temos todo o poder do mundo pra guiar a nossa vida no rumo incerto das nossas escolhas, as escolhas que vem do coração, porque por mais que saibamos que o mundo definiu o que é correto, o que nos torna de fato felizes não são as coisas que temos, e sim o que somos, como nos sentimos no momento em que passamos a ser livres novamente, essenciais em nossa vida! Um brinde a todos que já perceberam que o grande mistério da vida está em viver sem porquês!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Em busca da magia...

...Nas decorações natalinas, nos comerciais, em toda a forma de publicidade, nos parcelamentos de dez vezes sem juros, e, até quando você se olha no espelho pela manhã, no mês de dezembro é assim... De todos os lados parece vir aquela mensagem: Busque a magia, sinta, seja, viva... Respire o Natal. Como assim? Como você não está saltitante feito uma rena de papai noel? Como você não está empolgado com tantas formas de confraternização? Venha... Consuma... Esteja em meio a pessoas, use seu melhor vestido, faça uma nova maquiagem, inaugure aquele par de brincos, vamos... Só depende de você! (E do limite do seu cartão de crédito). A mais pura verdade é que estamos no último mês do ano e o único clichê que eu pretendo usar neste texto é: "Então é natal, e o que você fez?" Sim! O que você fez nos últimos meses de que realmente possa se orgulhar? Quantas pessoas foi capaz de ajudar? O que você fez sem esperar nada em troca? O que você fez com aquela lista de coisas que prometeu a um ano atrás? O que você fez por aqueles que ama? O que você fez por você? O que você fez de engrandecedor? Não adianta maquiar a existência, nem a consciência, nem enfeitar com as fitas mais bonitas as coisas que deixou de fazer! Não adianta! A tal "magia" surge quando, ao fazer sua retrospectiva pessoal, você encontra atitudes que fizeram de você alguém melhor, palavras ditas, apoio, gentileza, educação, a "magia" vem do número de vezes que você disse "eu te amo", "obrigada", "por favor". A magia surge quando estamos tão bem conosco que passamos o mês inteiro entoando a mais bela e grandiosa forma de amor que é a gratidão! Agradecer e nos sentirmos abençoados por estarmos aqui compartilhando mais uma vez deste incrível momento de renovação, de forças, de fé, de energia! É enfeitar nossa alma com aquele sentimento de missão cumprida, abraçar forte as pessoas que amamos e mais uma vez agradecer por termos esta chance, de olhar nos olhos dos nossos semelhantes e dizer: Que bom que você está aqui! Não temos que nos sentir obrigados a esbanjar uma felicidade supercial só por que "é natal", temos que aprender a cultivá-lá dia a dia e quando chegar este grande momento, respirar aliviados e colher os frutos da nossa "plantação". A verdadeira "magia" vem da simplicidade, da paz e da harmonia que honestamente, não estão nos shoppings lotados, nem nas vitrines e muito menos nos comerciais! Cultive a tal "magia" dentro de você, e aí sim, sinta esta energia que é contagiante e que não precisa de plumas e paetes para ser festejada! Se organize, arrume sua vida, suas coisas, de dentro pra fora e não ao contrário e quando você menos esperar, a "magia" do natal terá lhe preenchido e você não precisará passar o ano de 2012 inteiro pagando por isso!

sábado, 26 de novembro de 2011

Como você está bonita (o)!

E como num passe de mágica nos sentimos a pessoa mais linda do universo! E num estalar de dedos nosso ânimo se renova, melhora, flutuamos, emagrecemos e perdemos as rugas... Quem nunca se sentiu assim após encontrar uma pessoa depois de um ou dois anos, geralmente num daqueles dias em que tudo parece “normal”. Quantos dos 365 dias do ano são assim? Normais? Acordamos, nos arrumamos, saímos, trabalhamos, almoçamos, voltamos pra casa ao fim do dia, nos encontramos com nossa família, enfim, fazemos as coisas que costumamos fazer, torcemos para o fim de semana chegar logo e assim se passam dias, meses, anos e não nos damos conta de que esquecemos de inserir um pouco mais de vida aos nossos dias, de aventura, de desafios, nossos planos vão ficando pra amanhã, alguns sonhos vão sendo esquecidos, amigos colecionados, sim sabemos que eles estão lá, mas não os vemos com a mesma freqüência, e daí, num certo dia você encontra uma daquelas pessoas... Um amigo, um ex vizinho, um conhecido que há tempos não via, que não sabe como sua vida vem se desenrolando nos últimos tempos, que não faz ideia de tudo que você já teve que superar, das vezes que caiu e teve que levantar, dos sapos que engole diariamente, das 873 vezes que já pensou em pedir a conta, não sabe de nada, mas que ao te ver solta um sincero: “Como você está bem e bonita(o)”, e aquele filme passa na sua cabeça... Dos últimos tempos, dos últimos acontecimentos e a sua vontade é dizer um sonoro “obrigada (o)”, mas não é um agradecimento comum, é um agradecimento a si mesmo, por não ter desistido de você enquanto alguém desistiu, por não ter se entregado ao fracasso, por não ter abandonado o seu desejo de viver e de se cuidar e de se amar de verdade! É um agradecimento aos últimos tempos, que te testaram, te ocuparam, te fizeram viver intensamente os seus compromissos, correr atrás dos seus objetivos e superar todos os grilos que de certa forma se criaram em algum momento! É depois de um “Como você está bem e bonita” que você percebe que está sim, no caminho certo, seguindo sua vida e por incrível que pareça, da melhor maneira possível e o resultado? O resultado é um elogio gratuito de quem não vai ganhar nada em troca ao fazê-lo!!! Queria estar olhando pra você neste exato momento e dizer: “Nossa, como você está bem e bonito (a)!

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Varekai!

Não importa onde você esteja, pare por um instante e pergunte a si mesmo: qual é a medida do nosso amor? Da nossa bondade? Da nossa fé? Quais são os pesos, em nossa consciência, em nosso caminho, na balança, que nos impedem de praticar o que temos de melhor? De fazer tudo que está ao nosso alcançe? De lutar pelo que realmente vale o nosso esforço? De que forma é possível que coisas, pessoas, situações, tenham um valor tão diferente entre nós? Enquanto o mínimo que uns esperam é um sorriso, parece que é o máximo que outros podem dar! Enquanto tentamos compreender ao máximo nossa missão na terra, nos esforçamos ao mínimo para olhar ao nosso redor e compreender as necessidades dos nossos semelhantes e não observamos que nossa influência no mundo é muito maior do que podemos imaginar! Quantos de nós não fazemos o mínimo, que é agradecer diariamente por estarmos vivos e sentindo o incrível ar que entra em nossos pulmões nos alimentando diariamente sem pedir nada em troca? E em compensação, enchemos nosso cotidiano com o máximo de reclamações, nos apegamos e nos prendemos a detalhes, somos materialistas, somos irresponsáveis, somos "uma parte" de nós, não temos sido completamente o que cada um de nós é capaz de ser! Deixamo-nos levar pelas circunstâncias, pelo momento, pelas frustrações, pela obrigação de ser feliz a todo custo, não respeitamos aqueles momentos em que, calados em nossos pensamentos, nos sentimos tristes! E não é somente não aceitar, é que nos sentimos fracos ao nos sentirmos tristes, e, somos "obrigados" a ser fortes! Limites, é fundamental compreendermos os nossos limites, aceitá-los, não temos que ser "perfeitos", mas, tentarmos a cada dia ser melhores, pessoas melhores para nós mesmos, pessoas das quais nos orgulharíamos se não fossemos nós! Pessoas que gostaríamos de ser! O que nos impede de nos lançarmos atrás de nossos sonhos? De dizermos "não" quando necessário? Temos, eu e você, este direito! De dizer não àquilo que fazemos obrigatoriamente para "agradar" aos outros, não estamos aqui para isso! Estamos aqui para "ser" e não "parecer", de que adianta "parecer" legal, se no fundo você se frusta fazendo coisas que definitivamente não gostaria de estar fazendo? Respeite-se! Diga sim, diga não! Faça o que te enche de orgulho e faça sim, o mais bem feito que conseguir! É impagável nos orgulharmos de nós mesmos, nos sentirmos úteis, nos compreendermos! Ser feliz é consequência de momentos positivos! Momentos! Saiba criar, usufruir, desfrutar de momentos alegres e viva! Não ponha na balança as coisas boas que você já fez, pese aquilo que podia ter feito e não fez... Não se culpe, permita apenas que você seja o que você é e não o que querem que você seja... Seja você! Varekai. *Varekai significa "onde quer que seja" na linguagem romena dos ciganos, os nômades universais.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Encontros..

Com hora marcada, de madrugada, por acaso, amorosos, amistosos, cancelados, às escuras, com a pessoa certa na hora errada, na hora certa com a pessoa errada, com amigos, com a família, esperados, inesperados, na internet, obscuros, reveladores, saudosos, desencontros... Servem para nos manter vivos, para mostrar o que queremos e o que não queremos ver, para dar razão à nossa existência! Nos encontramos, o tempo todo, com pessoas de todos os lugares, nos encontramos nas esquinas, nos semáforos, nas festas, no trabalho, na academia, na padaria, na faixa de pedestre, na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê, nos encontramos! Quantas vezes nos encontramos sem motivo e sem razão? Quantas vezes esperamos para que um destes encontros seja a nossa salvação? Quantas vezes lutamos com nossos instintos para desistir dos encontros que não desistem de fazer parte da nossa vida? E quantas vezes a única coisa que queremos é que um encontro não deixe jamais de acontecer? Nos encontramos, desde o dia em que nascemos, na família a qual pertencemos, no colégio que frequentamos, na rua que moramos, nas confidências que fizemos, nos encontramos no primeiro beijo, na primeira vez, no primeiro não, nos encontramos no espelho, nas roupas da nossa mãe, nas fotografias, nos encontramos no momento em que nossas mãos tocaram a mesma carta, mesmo tendo sido em tempos diferentes, nos encontramos em um piscar de olhos, nos encontramos! Nos encontramos em momentos difíceis, nos encontramos na alegria, nos encontramos nas redes sociais, nos encontramos nos funerais, nos encontramos porque esta é a grande magia do universo, criar encontros! Milésimos de segundos, muitas vezes, são os responsáveis por um grande amor acontecer! Quantas vezes já conversamos com alguém, em um primeiro encontro, e descobrimos que por várias vezes já estivemos nos mesmos lugares, por que nunca nos encontramos antes? Quem decide quando duas ou mais vidas se cruzam? Quem decide o exato momento em que duas ou mais vidas desfrutam de um mesmo momento? De um mesmo encontro? De um acontecimento? Quem vai dizer que é impossível? Quem vai dizer que não podemos nos encontrar, pelo simples fato de nos encontrarmos, sem haver nada o que explicar? Quão grande é este mundo? Existe uma teoria, a Teoria dos seis graus de separação que originou-se a partir de um estudo científico, e afirma que, no mundo, são necessárias no máximo seis laços de amizade para que duas pessoas quaisquer estejam ligadas. Isso não é incrível? Todos, sem exceção, estamos, de alguma forma, ligados, neste universo! Ou seja, não, não há nenhuma coincidência! É o acaso? É o destino? O que é? Quem explica a magia misteriosa que envolve os encontros? Com tantas evidências de que os encontros e as ligações e o universo conspiram para que encontremos uns aos outros, não desperdice a chance de conhecer quem quer que seja!De reconhecer quem quer que seja, de oferecer o ombro, de sorrir, de ser o melhor que você pode ser, não sabemos quais destes encontros será decisivo em nossa vida, não sabemos qual é a próxima vez que vamos nos encontrar, não sabemos a razão por estarmos nos encontrando neste exato momento, não sabemos, nem sequer, quem decide o destino daqueles que se encontram, seja todo dia ou uma única vez na vida! Não sabemos nada além de que, visto por este panorama, cada encontro é único, uma nova chance, uma única oportunidade para sermos essência, para sermos parte da conspiração positiva do universo, para nos sentirmos inseridos neste mundo com um único objetivo! Nos encontrarmos... Não desperdice a chance de acrescentar vida aos seus dias, não sabemos o dia de amanhã!O mundo gira...

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Pé Inchado...

Há um ano e meio, aproximadamente, eu lido com esta verdade! Meu pé esquerdo incha! Não é tão inacreditável, uma vez que duas cadeias de linfonodos foram retiradas de mim, uma na região pélvica e outra inguinal! Logo, a circulação ficou prejudicada e alguns cuidados são inevitáveis! (Pra sempre). Bem, é como calvice, velhice, joanete, diabete... Não há o que ser feito, você tem que se adptar e aprender a viver assim! A reflexão porém é de que neste tempo em que venho me adaptando a esta nova realidade, eu pude observar que, em todas as circunstâncias que meu pé esteve realmente inchado, eu me diverti muito, como nunca, além do pé inchado em questão, eu trazia muita e muita história pra contar! É impressionante como algo relativamente ruim era capaz de me transportar à algo muito bom! As vezes em nossa vida, é preciso que coisas não tão boas aconteçam para que possamos observar as coisas boas que vem logo em seguida! Não é uma questão de compensação, mas sim, de valorização do que se tem! Valorizar os momentos tão ricos e raros, mesmo que aconteçam inúmeras vezes, são raros, por que nenhum deles será igual ao outro! A maneira como cada pessoa encara os acontecimentos em sua vida é que define o grau da sua satisfação e felicidade! Eu poderia realmente reclamar por ter de me adaptar a uma realidade tão cruel! Mas, ao invés de me lamentar, eu preferi olhar por outro ângulo e perceber que eu tive não só uma segunda chance de viver, e sim, uma segunda chance de aprender! Creio que muitos de nós (e eu me incluo neste grupo) temos sim, diariamente muitas coisas das quais nos queixar! Mas, se realmente pararmos para olhar ao nosso redor, para enxergarmos o contexto em que estamos inseridos, para analisar que cada momento desperdiçado com queixas se torna um momento a menos de vida e que muitas pessoas não tem uma "segunda" chance, agarraríamos com unhas e dentes todas as chances que a vida nos oferece de sermos felizes, de praticarmos o bem e de nos preocupar conosco! As vezes, ou melhor, quase sempre que desabafo com alguém sobre as mais variadas coisas, recebo em troca, além de ouvidos, palavras que me fazem pensar e acrescentar mais motivos para acreditar que nesta vida nada acontece por acaso! O que nossos olhos vêem, nem sempre é a realidade, temos um hábito de colorir o que está ao nosso redor e enxergar nossa vida em preto e branco, sendo que o correto deveria ser o contrário! Uma amiga, outro dia me deu um bilhete com a seguinte frase: "Que possamos ver sempre além daquilo que está diante de nossos olhos". Um dos mais belos conselhos que já recebi! Olhar além daquilo que parece óbvio, não tirar conclusões precipitadas e não julgar ou definir ou colorir o que muitas vezes é sem cor! Viver e aprender com as nossas experiências e tirar delas o que de mais proveitos elas possam nos oferecer! Eis a vida!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Viaje!

Nas suas ideias, em seus sonhos, na maionese, ponha o pé na estrada, se programe, ou não, vá para lugares em que nunca esteve antes, seja de carro, ônibus, avião, mochilão ou pela sua imaginação! Viajar é dar asas a liberdade, é viver, é aumentar sua bagagem pessoal, é alimentar seu espírito, é sair fora da rotina, é se renovar, é encher seus olhos, sua mente e seu espírito de novidades, aumentar a fabricação de serotonina, a memória e o álbum de fotografias, turbine sua energia, ative seu bom humor, crie possibilidades, acredite na sincronicidade, ria, sorria, sinta-se leve e aprenda a valorizar estes momentos que são únicos e deveriam ser obrigatórios na vida das pessoas, obedeça seus instintos, respeite outras culturas e aprenda com tudo isso, viaje em seus mais profundos sentimentos, viaje em seus sonhos, viaje em suas conversas, aprofunde-se... Não seja superficial, se joga, aproveita, não tenha medo de ser feliz, não se limite, não crie barreiras, vá... Para onde e como puder ir, sinta, tudo o que puder sentir, compre, tudo o que puder carregar e traga, histórias que nunca vai deixar de contar! O melhor de tudo nesta vida é o que acresentamos dentro de nós, é o que contribui para nosso conhecimento, crescimento pessoal, lembranças, vão moldando nossas vidas, são elas que nos transformam em pessoas felizes, completas ou amarguradas, coloque mais motivos para sorrir do que para chorar em sua vida e assim você dissipa o mal e preenche seu interior com alegria! Caminhe, olhe ao seu redor, pegue ruas pelas quais nunca andou, saia um pouco de dentro do carro, tome um café! Não encerre em si mesmo as oportunidades que a vida lhe ofereçe... Não imponha limites inexistentes até que se prove o contrário, compartilhe alegrias, assim elas se multiplicam, faça algo diferente, amplie seus horizontes, respire fundo e vá a luta! Há uma frase de Richard Bach que indaga: "Se queres estar com alguém, não estás ali agora?" E eu pergunto: Se queres estar em algum lugar, não estás ali agora? Este é o segredo! Acreditar, sentir, viajar, física ou mentalmente, para que tudo possa se concretizar! A máxima de hoje é que a vida é realmente muito curta para ser pequena!

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Respeito!!

Oito letras e um desafio! Talvez o maior da humanidade... Não consigo ver paz, amor, felicidade, harmonia, qualquer uma destas coisas, sem respeito!! Sabe quando a gente olha pra uma situação e não gosta do que vê? E quando a gente lembra que já esteve na mesma situação, cometendo os mesmos erros? Exatamente igual? E aí a gente entende por que tanta coisa deu errado! Envergonha-me tanto lembrar de algumas atitutes minhas que eu simplesmente detesto nas pessoas, e percebo que aqueles defeitos que a gente não cansa de apontar nos outros, são ou foram, na realidade, nossos. Lado bom disso tudo: Mudar, definitivamente, de dentro pra fora, assumir nossas falhas, olhar pra elas de frente, e deixa-las partir... Será que somos o que somos ou será que o meio nos torna melhores ou piores? Quais as influências que nos acrescentam e aquelas que acabam definitivamente com o que temos de bom? Eu peço desculpas... Sim, perdão... Fui por muitas e muitas vezes alguém que eu jamais quis ser, não sei o que me fez agir assim, pensar assim, sentir assim, chorar assim, mas fiz... Tudo errado e peço perdão... Eu peço perdão a mim mesma, por ter me abandonado desta forma, por não ter obedecido ao meu eu, por ter me deixado ser arrastada por sentimentos que de fato não me pertenciam... Hoje, ao olhar pra trás, agradeço... Por ter cometido estes deslizes naquele exato momento... É aquela experiência que a gente não escolhe, mas que transforma nosso modo de pensar a vida! Respeito meus amigos... Tem tudo a ver com liberdade... Liberte-se e aos outros que estão ao seu redor, viva a liberdade de acreditar nas pessoas, de amar, de aprender, de conhecer, de confiar! A única coisa com a qual você realmente tem que se preocupar é com seus pré-conceitos, e com aquele costume feio de querer controlar tudo ao seu redor! Pare com isso... Se permita viver de forma a sentir a vida leve, dar um passo após o outro e aproveitar para evoluir! Procurar fazer o melhor de uma situação ruim, mas principalmente, estar disposto a olhar no espelho e perceber que ali sim está o responsável pela sua vida, reconhecer seus defeitos e estar disposto a melhorar... Bem, eu não disse que isso era fácil... Não, não é!! Ser valente consigo mesmo... Se enfrentar... Vencer! Essa é a nossa vida! Mas se eu puder te contar o segredo para viver e ser feliz, sem dúvida, eu digo que é respeitar!!! Um ótimo fim de semana...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Sem Título!

Hoje não encontrei a palavra que pudesse resumir o que eu pretendo escrever depois de muito refletir, ou nem tanto assim! Às vezes eu queria só sair andando, sem rumo, sem destino, sem saber pra onde ir, somente ir... Sem olhar pra trás, sem pensar de mais, sem fazer planos nem esperar nada de ninguém, vontade de esquecer tanta coisa, olhar pra frente e decidir a cada instante que caminho seguir... Sem pressa, sem cobrança, sem ter que provar nada pra ninguém, sem hipocrisia, sem sim ou não... Sem medo de ser feliz, sem reclamar de nada, sem preconceito, sem maldade, sem dúvidas, sem exames, sem remédios, sem restrições, sem rancores, nem vontade de chorar, sem aquela sensação de "até quando", podendo acreditar, me sentir normal, igual, imortal, invencível, super heroi de desenho animado, me preenchendo de uma confiança proveniente de mim mesma, mas me sinto impotente às vezes, minúscula, tão, mas tão pequena que poderia ser esmagada por uma formiga! Tem dias que mediante ao que vejo me sinto assim, sei lá! É tanto sucesso e planos e sonhos concretizados ao nosso redor que eu juro que não é por mal, mas penso de mais em por que comigo foi assim? Por que eu tenho que viver com fantasmas assombrando meu futuro? Por que eu simplesmente não sou a garota da esquina que sorri e acena e tem a vida pela frente? Às vezes me canso de mim, me encho, não encontro mais argumentos para responder às minhas perguntas e desisto... Daí começo tudo de novo! Daí vejo gente que perde tudo na vida, inclusive a esperança, e, agradeço, infinitamente por viver, aliás, são tantos os momentos aos quais eu entôo gratidão que poderia andar com um crachá escrito "obrigada", é bom se sentir grato, pela vida, pelos amigos, pelo sol, pelo mar, por poder desfrutar da natureza, pela família que se tem... Ta aí... Gratidão, sentimento lindo que eu carrego comigo... Além da felicidade, de uma alegria iminente, uma coragem (in)questionável, uma ânsia pela vida... Mas como dizem alguns seres próximos a mim, sou também muito questionadora e estou o tempo inteiro tentando mudar aquilo que não será mudado... Insatisfeita? Não exatamente. Revolucionária? Ou só barulhenta mesmo? Não sei! Não sei mesmo... Só sei que às vezes o tempo não é bem o que a gente esperava, é sim meio implacável... Li uma frase hoje e eu não tenho medo dela... "Sabe o que aconteceu com o homem que sempre teve tudo que sempre quis? Foi feliz para sempre" não tenho a menor vontade e nem coragem de contrariar isso aí, no fundo era o que todos nós gostaríamos que acontecesse... Sim, eu também! Sabe quando você quer muito algo e aí perde a graça? Melhor ter perdido a graça do que ter gerado uma frustração de não ter conseguido... Pois é... Meu discurso positivista há tempos deu um tempo e o realista bateu na consciência... Já que não posso sair andando freneticamente sem rumo, ao menos digitar na velocidade dos meus pensamentos eu mereço, e sabe que é até interessante? Quer ver quando eu resolver ler este texto novamente!É como digo, o que escrevo, antes de tudo, serve pra mim! Obrigada.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Superficial...

Sair da zona de conforto e arriscar, iniciar uma jornada em busca do autoconhecimento... Talvez este seja um bom momento para isso... Pra mim, pra você, pra qualquer pessoa que esteja disponível e disposta a fugir desta superficialidade diária... Quase amigos, quase irmãos, quase bem, quase deu certo, quase conseguiu... "Quase" é um sinônimo de falta de escopo, quase é sem dúvida algo que não é pra ser! Não insista... Esta insistência no erro te tira do foco, do objetivo principal... E vários poetas, escritores, músicos e afins já disseram: pra quem não sabe o que quer qualquer coisa serve... Mas pra mim não! Não quero qualquer coisa, não quero nada que seja menor do que aquilo em que eu acredito ser verdadeiro, bom, bonito... Não se contente com o quase, busque, busque incansavelmente aquilo que seu coração almeja, desde que isso te traga energia, desde que isso te dê satisfação, desde que você tenha certeza de que o que você quer realmente vale a pena e vai acrescentar algo em sua vida, não se engane preenchendo seu coração com o que é superficial... Ter no que acreditar, ter algo para estudar, alguém pra amar, amigos para conversar, momentos dos quais recordar, histórias pra contar, um hobby pra praticar, algo pra se ocupar, coisas novas a buscar, sonhos a realizar... Insira estas coisas em sua vida... Não se confunda! Não perca o equilíbrio, não permita perder-se no caminho, a menos que este seja o seu desejo realmente... Equilíbrio, corpo, mente e coração... A energia da qual somos feitos pode ser usada da forma que acharmos conveniente, é nosso livre arbítrio... É a magia da escolha, é o presente! Quais tem sido suas escolhas? Olhe bem ao seu redor... Como somos fieis a nossa imaginação! A realidade é outra... Nem tudo que parece ser, realmente é! Tenha consigo aquela deliciosa vontade de melhorar algo em você a cada dia, preservar o que vale a pena, considerar quem te considera também... Aquilo que alguns chamam de decepção, eu chamo de "Deus sussurrando ao seu ouvido", lhe dizendo que você pode superar tudo isso e que com certeza tem algo a aprender... Aprenda! Olhe! Observe as situações com calma, reflita sobre elas e decida, serenamente, o que fazer... Esteja em primeiro lugar nas suas escolhas e olhe sempre em frente... Se não fossem os obstáculos em nosso caminho ou os "sussurros de Deus" em nosso ouvido, não seríamos capazes de valorizar aquilo que realmente merece o nosso valor! Fuja da superficialidade, busque a sincronicidade com o universo, com você e esteja aberto a receber o que o universo lhe preparar... Confie mais em você, em suas convicções, em quem você realmente é! Não importa quantas vezes você terá que começar, o que importa é que você não desista! Nunca desista de você! Reveja alguns conceitos, suas atitudes, seu cotidiano e até os seus “amigos” se preciso, olhe pra você, trace um objetivo e siga! Com orgulho das suas escolhas e das suas decisões... Uma das frases/citações que eu mais gosto ainda é “Isso também vai passar”, serve para todo e qualquer momento da nossa vida e além de conforto nos ensina a ter humildade! Vale a pena pensar assim... Evolua! Amor e iluminação a todos nós!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Lado "B"

Aquela porção enigmática, aquela parte do nosso ser que nem nós conhecemos bem, aliás, que nós nem conhecemos... Seria meio enigmático se meu texto de hoje seguisse meus instintos! O que veríamos seria um enorme espaço em branco, sem nenhuma letra, tom ou sentido! Quem entenderia o que eu quis dizer? Quem perceberia o verdadeiro e real sentido do silêncio? A única razão pela qual não deixo um enorme silêncio passível de interpretação é por que elas, as interpretações, vem carregadas de energia, cada um que interpreta o que quer que seja, acrescenta nas situações um pouco de si! E meu silêncio é tão único, particular e inconfundível que só eu tenho o direito de falar sobre ele! É algo além da interpretação... É quase um necessidade, de reorganizar minha essência, equilibrar meu interior, harmonizar minha razão e minhas emoções, descobrir como, porque e onde estou, parar de olhar ao redor, parar de buscar respostas, parar de tentar achar sentido em tudo! Certas coisas não tem sentido algum! Simplesmente são... Estragamos a magia do "acaso" tentando encontrar explicação para o que é, de fato, inexplicável! Dia após dia, hora após hora, minutos, segundos... Todos tão engenhosamente tramados, somando experiências, expectativas, alegrias, tristezas, medos, sonhos, decepções... E isso é a nossa vida, momentos que vão fazendo com que a gente acredite ter sorte ou azar... Situações que fazem com que a gente acredite ser filhos do Criador ou meros mortais esquecidos por Ele! Pelo fato da nossa vida ser regida por momentos, seria quase que impossível estarmos 100% o tempo todo! Passei uma boa parte de tempo vivendo á 120% pra no caso de algo não correr bem eu ficar, ainda assim, me sentindo 100%... Mas quer saber? Cansei! É bom sentir tudo aquilo que temos que sentir... Exorcizar nossos fantasmas... Exteriorizar nossas frustrações... Gritar a nossa raiva tão alto para que ela percorra o infinito e se perca no caminho, não encontrando o caminho pra voltar... É necessário vivenciarmos tudo aquilo que cabe a nós... Crescer, evoluir, caminhar sempre em busca de sermos alguém melhor do que fomos ontem! E se eu parecer frágil de mais? Serei uma vitoriosa! Assumir nossas fragilidades, assumir nossas fraquezas, reconhecer nossos erros e perceber que nunca é tarde para mudar são realmente virtudes! É a partir da percepção que tem início a atitude, a reação! Reagir, agir, buscar, avidamente aquilo que te faz feliz! Só peço, suplico que você não seja um escravo da "felicidade", buscando-a tão freneticamente sem perceber que ela nunca abandonou o seu lugar principal que é dentro de cada um de nós... Quando nos sentimos tristes, não quer dizer que a felicidade tenha ido embora... Ela simplesmente nos alerta a darmos valor ao que realmente merece... Aí, a tristeza vai embora e a gente pensa que ela nunca existiu... E assim a nossa vida acontece... E nesta longa caminhada quantas coisas mais teremos para compreender? Estar feliz é uma conseqüência! Ser feliz é um presente, e um presente é agora!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Daquilo que ninguém sabe...

De todas as coisas que guardamos conosco e não dividimos com ninguém, das coisas que mantemos em nosso interior, daquelas coisas que pensamos, bem naqueles momentos em que jurávamos não estar pensando em nada! Daqueles pensamentos/sentimentos que justificam o "não tão bem" quando respondemos que "está tudo bem", que responde àquelas perguntas do tipo "o que você tem" quando afirmamos "nada"... É daquilo que está tão intimamente guardado que temos medo de tocar... Nossa caixa de pandora... Não se tratam de segredos, tratam-se de sentimentos impronunciáveis, daqueles que só cabem dentro da gente, daqueles que não se verbalizam, que não pronunciamos, que deixamos num local em que seja possível meditarmos sobre eles e aos poucos digerir sua existência... Não que não possam ser divididos, são quase como o ar ao qual não prendemos, nem enxergamos, mas sabemos que está ali! Não são medos, nem inseguranças, nem lembranças... Somos nós mesmos... A cada novo dia marcados em nossa existência... É a nossa essência! Quem é capaz de olhar somente para ela sem julgamentos? Sem históricos ou pré-conceitos? Quem se importa com aquilo que de mais profundo possa existir em nossa vida? São as nossas perguntas, a falta de respostas, é aquele momento em que você se percebe tão imenso e insignificante ao mesmo tempo! Que você olha ao redor e não se vê... Que a vida se apresenta e sem compreender você passa a viver e a entender cada vez menos do que você já não sabia! E mesmo assim, vale a pena, pois você está aqui! Como eu. E por mais que a gente encontre respostas, novas perguntas vão surgindo e menos, cada vez menos saberemos o que se passa, exatamente, nos corações de quem está ao nosso redor, por que eles, também não sabem do nosso! E enquanto existirem perguntas também existirão respostas que ficarão pairando no tempo buscando a hora certa de se encontrar e como num passe de mágica certas coisas passam a fazer sentido, nem que o sentido seja o fato de, quem sabe, não haver sentido algum! Daquilo que ninguém sabe é do que somos feitos... Tal qual fossemos uma receita... O mundo nos enxerga "bolo" enquanto somos "trigo", "ovos" e "leite"... E, na minha opinião, são nossos ingredientes que nos tornam melhores ou piores... Corajosos ou covardes e assim por diante... Confuso? Todos temos o momento em que algo nos surpreende de tal forma que pensamos na vida como se ela tivesse a mesma importância pra todos, embora saibamos, não tem! Aproveite este momento e reconheça que é necessário olhar pra dentro e ali sim, se encontrar! Good Luck!

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Faça por você...

...Não pelos outros, não por ninguém, nem para, nem porque... Independente do que você fizer, faça para você!É a motivação que alimenta nossos sonhos, que nos impulsiona a correr atrás dos nossos objetivos... Em tudo na vida é assim! Por incrível que pareça comecei a escrever sobre isso antes de assistir ao último comercial da Fiat com o slogan "O que te move?" E é exatamente esta a lógica da minha caminhada! O que te motiva? É isso que você tem que perseguir! Ninguém acorda às 6h da manhã pra fazer academia se não estiver motivado! O seu trabalho não rende, a energia não flui... Qual a sua motivação? Se a resposta for qualquer coisa que não "você em primeiro lugar”, você está no caminho errado! Não podemos deixar que nossos atos a respeito de nós mesmos aconteçam "em função de...", a vida é isso que acontece diariamente ao nosso redor e seria muita irresponsabilidade não ser seu comandante! Objetivos, garra, disposição, determinação, conspiração, sim, conspiração, não dizem que quando você almeja muito algo o universo conspira a seu favor? Pois é, use o universo a seu favor, o tempo a seu favor, analise o que te motiva e corra atrás dos seus sonhos... Ninguém fará isso por você, não se prenda ao “será”, não abra mão daquilo que você almeja por nada, nem ninguém! Se pararmos alguns instantes para analisar ao nosso redor, veremos que estamos rodeados de exemplos de sucessos e insucessos, vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, orgulho e decepção... Seja no seu vizinho que largou o emprego de 40 anos pra ser cozinheiro e hoje é dono de uma das redes mais importantes de restaurante do seu estado, seja naquele seu amigo do segundo grau que tinha o sonho de morar no exterior e adivinhem? Está lá... E ainda arrumou um amor gringo pra completar! Seja na tia da sua melhor amiga que emagreceu 30kg depois que foi abandonada pelo namorado, seja pela sua amiga que realizou o sonho de entrar de véu e grinalda na igreja, com direito a chuva de arroz na saída! Ou pelo seu amigo que é um executivo de sucesso... Ou ainda e, melhor ainda, no seu primo que alcançou o sonho de ser instrutor de surf e passa o dia inteiro fazendo o que ele mais curte, pegar onda! De exemplos negativos estamos cheios também, pessoas que desistem no primeiro tropeço, que abrem mão dos seus sonhos por causa de outra pessoa, que esqueceram o seu amor próprio em algum lugar no planeta terra e não há GPS que os ajudem a encontrar, pessoas que perdem seu precioso tempo com fofocas, intrigas e maldade, gente que não faz nada por si mesmo e sim tudo, absolutamente tudo pra “aparecer” pra quem quer que seja, pessoas que não tem tempo de perseguir seus objetivos por que estão ocupados de mais cuidando da vida alheia... E eu lhe pergunto: De qual time você quer fazer parte? Independente da sua resposta, a decisão é sua! Descubra qual é a sua maior motivação e não perca aquela alegria, aquela adrenalina, aquela serotonina no seu dia a dia, faça ao menos uma coisa que lhe de prazer por dia, não importa o que seja, não importa o que você faça, você sempre tem a opção de fazer estando feliz... Reclamar, praguejar, resmungar, só atrai mais do mesmo! A vida é agora então aproveita... Daqui a pouco ninguém sabe!

segunda-feira, 11 de julho de 2011

É inevitável...

Bocejar ao ver alguém bocejar, programar dieta e nunca começar, se matricular na academia e nem aparecer, aguardar ansioso pela sexta-feira, reclamar da segunda-feira, almoço e encontros de família, uma tia fofoqueira, se empolgar com a lua cheia, aumentar o som quando toca sua música preferida, pegar um filme pelo nome e não gostar do conteúdo, resistir a ver um filme, pelo nome, e amar o conteúdo, se achar lindo (a) quando corta o cabelo (nem que sejam só as pontinhas), pensar mil vezes no que dizer a alguém e na hora não conseguir, Roberto Carlos no fim de ano da Globo, encontrar muitos conhecidos quando você sai de casa mal vestido, sentir saudades, rir das suas fotos de infância, ler o horóscopo (mesmo se você é um cético de carteirinha), sentir vontade de comer algo que alguém comentou, se mexer, mesmo com música ruim, decorar músicas que você odeia, fazer sol a semana inteira e chover no fim de semana, se arrumar de mais ou se arrumar de menos, o evento que você planejou muito não ser tão legal quanto aquele que surgiu na última hora, se revoltar com injustiças, lavar o carro e chover, o pão cair com a manteiga virada pra baixo, comprar coisas e nunca usar, bater três vezes na madeira pra isolar um comentário ruim, ser meio supersticioso, pipoca na hora do filme, milho verde na praia, crises existenciais, a fila do lado andar mais rápido que a sua, apelar à São Longuinho e nunca dar os três pulinhos, bolo de aniversário, não largar do celular quando conhecemos alguém legal, respirar, pensar que a nossa infância foi melhor que a atual (e disso eu tenho certeza), chorar quando se está triste, ver alguém tendo uma ótima ideia e pensar: por que eu não pensei nisso? Pôr a culpa na bebida, achar que o melhor time do mundo é o seu, sentir falta do verão enquanto é inverno e do inverno enquanto é verão, dar valor quando perde (to precisando valorizar uns quilinhos), cheiros que trazem lembranças, sofrer por antecipação, envelhecer, dúvidas, aquele dia que você nem deveria ter saído da cama, rezar quando se está com um problemão, esquecer algo muito importante, lembrar de coisas inúteis... A nossa vida, além de incrivelmente mutável, é, por incrível que pareça, repleta de eventos que não dependem de nós para acontecer, ou, que dependem pouco, mas que certamente irão acontecer... E é por isso que eu me pergunto o tempo inteiro, por que tanta gente se preocupa tanto? No que depender de mim, farei o impossível para ser feliz e não para agradar, merecer, explicar o que quer que seja... Atos, fatos... Visíveis ou imprevisíveis... O certo é que não importa o que acontece, o que importa é a maneira que você reage ao que acontece!

Twenty eight years ago...

OBRIGADA

terça-feira, 14 de junho de 2011

Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas!

Lembro-me bem do porque comprei este livro, obviamente me julgava uma pessoa boa que estava enfrentando algo terrível e a descrição do livro soava serenamente como resposta à minha pergunta: “... é um livro que transmite a paz de espírito, capaz de mudar profundamente sua vida!". Ótimo, pensei. Uma vez que nada mais de ruim poderia me acontecer, segundo eu imaginava. Comecei avidamente a ler o *livro e no primeiro parágrafo do prefácio eu o larguei e confesso, nunca mais o abri, dizia assim: "A vida não é justa. Coisas terríveis acontecem a pessoas boas e decentes. Os melhores entre nós adoecem, sofrem e morrem”. Quase me senti lisonjeada pela parte em que dizia "os melhores entre nós" não fosse tamanha a minha decepção ao perceber que talvez a minha pergunta não tivesse mesmo resposta! Este episódio me ocorreu a pouco mais de um ano atrás. Talvez não tenha tido nem ânimo, nem vontade, nem coragem de escrever sobre ele naquele momento, mas, eis que hoje como em um mini flasch back ele retornou mais vivo do que nunca em minha memória! Amigos, como todos já sabem, o objetivo deste espaço sempre foi ser uma fonte de força, fé e esperança.Tal qual eu buscava encontrar enquanto o mundo desabava ao meu redor. E, modéstia parte, me surpreendi e me surpreendo a cada dia ao perceber que consigo sim, abranger um número enorme de pessoas com ou sem problemas que aprendem um pouco mais sobre viver por aqui! Mas isso ainda não responde à minha pergunta! Ainda não me permite achar justo que pessoas boas tenham que sofrer! Ainda não me conformo de ver crianças vivenciando coisas que elas talvez nunca consigam explicar! Como podemos reagir a estes reveses da vida? Não tenho estas respostas, o que tenho é a minha experiência, que sim, acredito ser válida á maioria das pessoas que se sentem completamente desiludidas frente aos seus problemas. Problemas! Não quero ser drástica por aqui, mas honestamente, esta sim é uma palavra que não deve ser pronunciada em vão! Quando você e sua família, seus amigos tem saúde, você não sabe o que são problemas! Quando você acorda e reclama pelo simples fato do despertador ter tocado você é um tremendo imbecil que está perdendo uma ótima oportunidade de agradecer por mais um dia de vida que às vezes é o único anseio de quem já não tem certeza se o terá! Por que somos tão ingratos? Esta é outra das minhas questões sem resposta. E por mais que possa parecer utópico, ainda acho que o amor, a fé, a alegria, a esperança são ótimos remédios... Aliados a medicina e o apoio de quem amamos é quase infalível! Nunca desistam de lutar... Como eu sempre digo, viver vale e muito a pena. Eu não desisti, eu aproveitei tudo o que poderia me beneficiar, e mais do que isso, nada foi tão animador e gratificante quanto compartilhar e poder ajudar outras pessoas através dos meus relatos. Agradeço a Deus por isso, por que desde o momento em que tudo aconteceu até hoje, minha vida não teria sentido se eu não pudesse ajudar alguém! Esperança amigos... Desejo que suas caminhadas sejam suaves... Que tenham força e fibra para suportar suas notícias, mas que principalmente não deixem o medo impedir que o amor realize milagres! Eu acredito em milagres e você? *Quando coisas ruins acontecem às pessoas boas. Harold S. Kushner

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Comer, Rezar e Amar...

"Quando o passado finalmente tiver saído de você, liberte-se. Depois comece o resto de sua vida com alegria". Assisti ao filme “Comer, rezar e amar” há algum tempo, inversamente ao que costumo fazer, ainda tenho que ler o livro. Mas, quero escrever não sobre o livro ou o filme em si, e sim, sobre a mensagem, as reflexões que eu, particularmente, achei riquíssimas. Sempre temos momentos na vida em que buscamos, ansiamos por alguma coisa, por novas descobertas, seja o nosso prazer, nossa espiritualidade, o amor... E sempre temos momentos na vida em que abrimos totalmente mão destas coisas, nos dedicamos demasiadamente ao trabalho e esquecemos de nos divertir, abdicamos totalmente de alimentar a alma, lembrando de entrar em contato com a força superior só quando precisamos, muitas vezes por termos tido um coração partido nos fechamos para o amor e nem percebemos que estamos fazendo isso! E é tão interessante porque são várias as fases em nossa vida que vamos descobrindo pequenas coisas que nos fazem falta, seja um tempo livre, seja ler um livro, fazer uma prece, meditar, se apaixonar, viver novamente algo que já julgamos não ser capazes! Cada um de nós se encontra em um destes momentos, e se não pararmos para olhar pra nós mesmos e compreender o que está acontecendo, vamos continuar levando a vida sem aproveitar para evoluir,para sermos melhores e mais felizes, aceitando o que não nos beneficia porquê já não sabemos o caminho correto a seguir, nem que decisões tomar, nem o que pedir, nem a quem amar! A maior de todas as lições que esta história me passou foi a descoberta, o encontro consigo mesmo, saber quem somos, o que queremos, quais são nossos medos, nossas fraquezas. Por que estamos o tempo todo fugindo dos nossos pesadelos ao invés de simplesmente enfrentá-los e deixá-los seguir adiante? Porque nada disso é fácil! Somos humanos e imperfeitos e temos medo! Sim, muito medo de assumir nossas fraquezas, de lutar pelos nossos objetivos e geralmente por "medo" de fracassar! Também tenho meus pesadelos e eles não são nem um pouco agradáveis... Carrego em mim pensamentos e julgamentos que considero inadequados, tento dar uma de "destino" e atribuir às pessoas o que eu "acho" que elas merecem, mesmo sabendo que esse não é nem de longe o meu papel... Pareço mais forte do que eu sou, choro bem menos do que me permitiria, mas penso, ainda penso muito no passado! E tenho certeza que este é o meu maior desafio, iluminar tudo o que me aconteceu, permitir que as histórias sigam seus caminhos, que o sofrimento fique pra trás, que as pessoas sejam felizes e deixar o meu coração livre pra toda alegria que ele merece sentir. Estar em paz com minhas recordações e não me importar tanto com o caminho dos outros! Diariamente procuro compreender esta vida que parece injusta às vezes, mas daí percebo que cada um tem um caminho a seguir e que cada um de nós está aqui para batalhar pelo seu. Pessoas, histórias, fatos,atos... Entram e saem, acontecem e acabam em nossas vidas e temos que aprender, por mais difícil que seja, a amar, perdoar e respeitar tudo o que nos rodeia e só assim poderemos receber toda a alegria que merecemos. Iluminação a todos vocês!

sábado, 11 de junho de 2011

Caro(a) Amigo(a)!

Por onde você anda? Não suma, não se afaste, mande notícias, por que mesmo paramos de nos ver? Foi a agenda lotada? Nossos compromissos inadiáveis? Ou foi o tempo que não colaborou? Quando foi a última vez que nos ligamos? Seu número continua na minha agenda, nossos papos eram tão bons, ríamos tanto em nossas conversas, trocávamos confidências, será o seu novo(a) namorado(a)? Ele(a) não gosta da nossa “intimidade”? Talvez aquela discussão boba, por algum motivo que eu nem me lembro mais qual foi, é... Alguma coisa aconteceu em nosso universo que nos distanciou, mas me lembro bem do quanto você estava nos meus planos de permanecer no meu grupo de amigos velhinhos, me lembro também do quanto foi bom ter conhecido você! Amizade... Sei que ela ainda existe e gostaria de retomar nossos encontros, sinto muito a sua falta pra brindar comigo quando bebo meus drinks, nos meus momentos felizes e nos momentos de lamúria também! Com você, caro amigo(a) eu posso ser quem exatamente sou, posso chegar na sua casa com qualquer roupa e sem nenhuma maquiagem e você vai me achar linda mesmo assim, eu posso errar na pronúncia das palavras e nós vamos rir, eu posso dizer que gosto de você e não correr o risco de você sumir, posso te incluir em algumas furadas, pra não precisar me frustrar sozinha, podemos nos apelidar, curtir belos fins de tarde de frente pro mar, podemos chamar a atenção um do outro quando acharmos necessário e isso não será nenhuma ofensa, queria muito a sua opinião sobre meus novos amores, te contar os meus planos e aquelas novidades que eu sei que você iria gostar de saber, e comemorar comigo as minhas vitórias, caminhar no shopping, ir a praia, balada, barzinho, cinema... Cadê você que nunca mais esteve ao meu lado? Que não me ajudou a encontrar aquela música na internet? Que não me ensinou a usar meu GPS, que não riu comigo quando cantei aquela letra toda errada? Independente da razão pela qual nos distanciamos, eu quero que você saiba que amigos pra mim são estas pessoas que alegram meus dias e me dão forças para seguir em frente após cada obstáculo! Sinto sua falta e espero te encontrar em breve pra olharmos um pro outro e dizer: Que bom que você está aqui!

domingo, 15 de maio de 2011

Como vodka no chocolate!

Há algum tempo, no clube da “luluzinha”, uma das meninas comentou que na falta de conhaque para a realização de uma receita de trufas ela pensou em utilizar vodka, achando que o efeito seria similar, porém, o efeito foi completamente contrário, o chocolate petrificou! Endureceu e a receita foi pro espaço! Pois bem, dessa história o que gera uma reflexão é a petrificação! O que está petrificado em sua vida? Qual foi a situação em que você utilizou vodka ao invés de conhaque e acabou mandando tudo pro espaço? Às vezes por querer, às vezes sem querer... A questão é que em muitos momentos em nossa vida, substituímos coisas imprescindíveis e acabamos por perder tudo. Pensamos que não fará diferença, que o resultado será o mesmo e quando nos damos conta, a coisa desandou! Muitas vezes paramos de fazer as coisas da maneira que sempre fizemos e acabamos por fugir completamente do objetivo principal! São palavras, gestos, atitudes ou a falta destes itens que estragam as receitas das nossas vidas e dão fim a coisas importantes! Deixamos de ser quem somos, deixamos de ser o conhaque, substituímo-nos por alguém completamente diferente, muitas vezes para agradar aos outros e, quando isso acontece, geralmente, não conseguimos recuperar a receita perdida! Nestes casos o que nos resta é começar uma nova receita, com os ingredientes corretos, com o passo a passo da maneira que tem que ser, não adianta chorar sobre o leite derramado e nem sobre o chocolate petrificado! O negócio é aprender com a situação! Outro dia, assisti a uma apresentação que falava sobre os fardos que carregamos, coisas que já passaram há muito tempo, mas que continuamos carregando conosco, como mártires, como se a nossa vida dependesse daquele sofrimento, como se aquilo que nos aconteceu fosse à resposta pra todos os nossos infortúnios... E com isso, perdemos um grande tempo e um grande espaço na nossa vida e na nossa história, perdemos chances, oportunidades, de sorrir ao invés de chorar, de agradecer ao invés de lamentar, de ir à luta ao invés de esperar, de ser feliz ao invés de insistir nesta tristeza que, honestamente, já passou! Se algo de ruim lhe aconteceu, se petrificaram seu coração, se tudo parece ter caminhado pra um rumo diferente do esperado, pense que não foi por acaso, talvez você é quem caminhava de forma incorreta pelo seu caminho, aceite a sua história, mas abandone estes fardos, deixe pra trás com eles todos os seus grilos e suas neuras, seus preconceitos, suas lágrimas, seu sofrimento, assuma a sua vida e se prepare pra ser feliz! Aceite o seu caminho e passe a olhar mais para as estrelas do que para o dedo de quem às aponta, repare nas flores e não nos espinhos... E principalmente, não se substitua por qualquer personagem, não deixe de ser o conhaque da sua receita... Saisir le jour!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Pequenos Prazeres...

Não, não é necessário ter dinheiro para aproveitar as melhores coisas da vida! Um abraço não se compra, um sorriso não tem preço, gargalhadas não são cotadas na bolsa de valores, não se paga para caminhar no parque, na praia, nem para brincar com seu cachorro, um chá quentinho numa noite fria, sentar ao sol, ler um livro, fazer o bem, ser gentil, estas coisas não custam nada e trazem uma enorme satisfação. Sonhar não é pecado, a imaginação não tem limite, você vai até onde a sua criatividade permitir e como os sonhos não têm preço, não vendam os seus... Não permita que minem aquilo que te faz acordar todos os dias e seguir em frente, não aceite que lhe digam que é impossível! Impossível é não se alegrar brincando com uma criança, impossível é acordar e não sentir uma enorme vontade de agradecer por sermos livres, impossível é compreender como tantas pessoas perdem tempo pensando em coisas ruins. Algum amigo já lhe cobrou por uma boa conversa? A natureza já lhe cobrou por ser contemplada? Banhos de mar, de cachoeira, não são cobrados na fatura de água, não se pagam taxas por amizades verdadeiras. Qual o custo por ouvir sua música preferida? Cantar sua música preferida? Dançar sua música preferida? O combustível pra andar de bicicleta não aumenta nunca! O número de horas dormidas não altera com a inflação! Pipoca e guaraná, cobertor e filme são casamentos perfeitos e vamos combinar que são uma delícia! Pegar aquele livro de receitas e reproduzir um pão de queijo idêntico ao da sua mãe! Escrever... Totalmente free, basta deixar a mente fluir e sentir um alívio a cada nova palavra! Escrever é como correr, você não acredita que vá lhe fazer falta até começar a praticar! Correr! Sem pensar em nada, sem hora pra voltar. Vestir aquele moletom surrado (e preferido) e sentir-se adolescente! Se apaixonar! Na verdade as pessoas deveriam pagar por isso, de tão bom que é! Quando nos apaixonamos, seja pelo que for, nos tornamos pessoas muito melhores, encantadoras, iluminadas... O amor tem este enorme poder! Sentir aquele friozinho na barriga, ou melhor, borboletas no estômago é uma sensação impagável, talvez por isso não tenha preço! Estar com quem amamos... Beijos, abraços, carinho... Tudo isso e mais um pouco é muito mais valioso do que qualquer coisa! E está aí, ao nosso redor, disponível, em abundância... Esperando por aqueles que estão dispostos a ser felizes, a explorar este incrível universo de pequenos prazeres... Aproveite a vida!

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ausência...

O que exatamente quer dizer uma longa ausência? Creio que esta questão não é mensurável, em certas situações, um ou dois dias já são de certa forma uma longa ausência, em outras, no entanto, meses não geram as mesmas sensações. O que é ausência? Drummond em um dos meus poemas favoritos diz: “Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim. [...] e essa ausência assimilada ninguém a rouba mais de mim...” Concordo! Não há falta na ausência... Vejo que há tantas pessoas que se “ausentam” fisicamente, mas permanecem ligadas, alimentando sentimentos, fortificando relações, mantendo contato... Outras, mesmo estando presentes, estão longe, mais ausentes que àqueles que estão distantes, o maior erro em minha opinião é nos ausentarmos com as pessoas que foram fazendo parte de nossas vidas, nossos amigos, nossos ex-vizinhos, nossos amores... Por que nos ausentamos completamente da vida destas pessoas? Parece que todo tempo que estivemos juntos não foi o suficiente para mantermos uma relação duradoura... Parece que este tempo evaporou... Sei que seguimos caminhos diferentes e que cada um de nós tomou um novo rumo em algum momento, mas, você não sente falta dos seus velhos “melhores amigos”? Assimilar a ausência é um processo lento, assim como Drummond, eu penso que é natural sentir falta na ausência, porém, assim que a assimilamos percebemos que na verdade a ausência é mais uma possibilidade, é um espaço deixado para ser preenchido por novas experiências e sensações, e podemos, inclusive, preencher esta ausência com algo muito valioso, que somos nós mesmos! Quantas vezes você se ausentou de você mesmo? Não ouviu seu corpo, não respeitou seus sentimentos, não obedeceu aos seus desejos? Não se dedicou a você mesmo? Há quanto tempo você aguarda para que algo ou alguém preencha esta ausência em você? Sendo que a única pessoa capaz de te completar é você mesmo? Não importa qual seja a situação... Nada nos completa. Somos ou ao menos deveríamos ser completos, todo o resto nos "complementa..." Acrescenta, contribui, agrega valor ao que somos, e, se por acaso, algo ou alguém se vai, não nos esvazia, não nos deixa menos completos, simplesmente vai, assim como tantas coisas foram e outras vieram... E entre estas idas e vindas podemos sim, ter outras sensações, mas nunca nos sentiremos vazios... Nem sentiremos falta na ausência, é sempre um novo processo de adaptação, porém, sempre estaremos completos nos adaptando a novas situações, novos empregos, novos amigos, novos amores... A doce ausência também é um estado de espírito!

terça-feira, 3 de maio de 2011

E quem se importa com o que os outros vão pensar?

Por trás das palavras, por trás das ideias, da intenção, por trás do sorriso... Tudo o que vemos, vemos ao nosso modo, da maneira que nos convém! Mas o que existe por trás disso tudo? Nas músicas, nos filmes, nas conversas com os amigos, nos encontros e nos desencontros desta vida... É a vida passível de interpretação! A vida não passa de um espelho que reflete o que nós somos... Tudo o que vemos, o que pensamos, o que queremos, do que gostamos ou não... Em tudo que depositamos nossa atenção, ali está um pouco de nós. Melhor do que nos imaginarmos em certas situações é nos identificarmos com elas... Com as pessoas, com as histórias, com a letra daquela música que foi "feita pra nós", quando conhecemos alguém e vemos que temos tanto em comum, e, quando conhecemos alguém e vemos a imensa capacidade que temos de nos apaixonar por coisas muito diferentes de nós, é a vida cíclica, que não pára um segundo e vai nos permitindo ter muitas experiências distintas. Experiências que dependem da nossa decisão para acontecer e para se desenrolar, experiências que irão mostrar se aprendemos ou não, se crescemos ou não, se nos tornamos ou não, melhores. A intenção é por vezes cruel, é mutante, parece algo que não é... Às vezes está tão certa pra gente e logo depois evapora, entra em ebulição e perdemos completamente o norte em relação às intenções... Assim vamos distinguindo as pessoas, assim vamos reconhecendo a nós mesmos, nos moldando, evoluindo, observando que nem tudo é perfeito e que é justamente esta imperfeição que nos dá a chance de diferenciar uma coisa de outra, nos enganamos, muitas e muitas vezes, rimos, gargalhamos frente às nossas expectativas, achamos, e este “achismo” vai se tornando natural, até que em certo ponto temos certeza, certeza é aquela sensação inconfundível, enquanto não a sentimos é por que somente achamos... Confuso! Mas o que não é? Viver é a mais bela e divertida das confusões, saímos e entramos em furadas sem tamanho, caímos e levantamos, e é assim o tempo todo... Que bom! Que bom que cada um de nós tem o direito de enxergar a vida com seus próprios olhos, que bom que somos livres para criar a nossa história e seguir adiante da maneira que acharmos mais conveniente, que bom que não estamos fadados, por exemplo, a enxergar esta dádiva, este milagre que é a vida, com os olhos dos pessimistas, que bom que em cada um de nós reside uma oportunidade, de ser melhor, de querer mais, de viver! E é por tudo isso que eu tenho certeza de que não importa nem um pouco o que os outros pensam sobre nós, o que importa é o que nós pensamos sobre nós mesmos, o que importa é o valor que damos a nossa passagem por aqui, o que importa é viver e sugar ao máximo o que a vida tem de melhor pra nos oferecer, por que cada um é responsável pela sua trajetória, pelo seu futuro e principalmente, pelo seu presente! Por que amanhã, todos estes que perdem tempo analisando a vida alheia terão um dia a menos pra cuidar da sua própria vida! Não me interessa o que os outros pensam sobre o que eu faço! Se me fizer feliz e não fizer mal a ninguém, que mal tem? Einstein já dizia que “há duas formas de encarar a vida: uma é acreditar que não existe milagre. A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.” Eu concordo com a segunda! E você?

sexta-feira, 25 de março de 2011

Um ano. Muito ou pouco?

Depende. Depende do contexto no qual você está inserido, depende das circunstâncias que o rodeiam, depende do que estamos falando, depende do que é um ano pra você! A pergunta em questão diz respeito ao último ano! De 26 de março de 2010 a 26 de março de 2011, amanhã. Ano passado, aproximadamente dois meses antes desta data eu comecei a minha odisséia, descobertas, exames, consultas, medo, insegurança, solidão. Não importa quantas pessoas estejam ao seu redor, quando você está com um grande problema, você está sozinho (a), com seus pensamentos, com sua esperança, com sua fé, com sua força de vontade, com você mesmo. No dia 26 de março do ano passado foi a minha primeira cirurgia para remoção do câncer. Ampliação de margem de segurança e retirada de linfonodo sentinela, de fato, naquele momento eu não tinha noção se teria mais um ano de vida! Honestamente, por mais que todos (nem todos) ao meu redor naquele momento estivessem me proibindo de tocar neste assunto, de pensar desta forma, de desacreditar, confesso que muitas e muitas vezes isso passou pela minha cabeça! A partir daquele momento o caminho seria tortuoso, severo e decisivo. Eu tinha uma escolha sim, lutar ou me entregar, (e pelo fato de estar aqui lhes escrevendo, vocês devem imaginar qual foi minha opção). O caminho foi sim, difícil, mas foi uma peregrinação pelo meu ser, me descobri, mais, muito mais forte do que eu podia imaginar, muito mais calma, muito mais espontânea, e muito mais sem vergonha (no bom sentido), não me escondia para chorar, chorava o quanto fosse necessário para me acalmar, pensava, em tudo que poderia vir a acontecer, sofria, por antecipação situações que até aconteceram, mas que não mereciam tanto sofrimento, rezava, pra Deus diariamente pedindo respostas, mesmo sem ser praticante de nenhuma religião trago comigo a fé em Deus, uma energia superior que explica muitas coisas sob a terra, escrevia, meus sentimentos, meu ódio, minha indignação, esperava, palavras carinhosas e gestos amorosos de quem não aprendeu a amar, buscava, informação, conforto e esperança em todas as fontes que me apresentavam, vivia, um dia após o outro torcendo pra continuar mais tempo por aqui! Os três meses que se seguiram após esta data, foram muito mais longos que o ano mais longo do qual você consiga se recordar, foram meses de reclusão, meses em que as coisas que eu mais temia aconteceram, meses em que as únicas forças que eu tinha só poderiam ter vindo de Deus por que seria quase humanamente impossível passar por aquilo sozinha, foram os três meses mais longos da minha vida, entre aparecimento de metástases e separação eu tinha que seguir em frente, forte, pois tinha algo muito valioso pelo qual lutar e isso era a minha vida! Quem diria? Um ano se passou, muita coisa mudou, a vida segue e eu lhe pergunto, um ano, muito ou pouco? Sempre será pouco para quem tem desejo de viver, de ser feliz, de alcançar seus objetivos, sempre será muito para aqueles que só sabem reclamar, murmurar e perder tempo com mesquinharias, sempre será pouco quando o assunto em questão for evoluir, sempre será muito para aqueles que acham à vida pesada de mais e são escravos do comodismo... Um ano... Tempo suficiente para percebermos que a vida é uma dádiva, que sonhos são possíveis e que ninguém está aqui sozinho! Se eu pudesse resumir este ano em uma palavra, ela seria superação! Mas tantas outras cabem nesta minha comemoração, sim, comemoração, quero comemorar a vida, quero comemorar a saúde, o amor, a gratidão, a amizade, a medicina, a fé! Não importa o que esteja acontecendo na sua vida neste momento, não importa qual é a sua situação, acredite simplesmente que nada acontece por acaso, nada nos acontece sem uma boa razão! Acredite em Deus, acredite na vida e lute! Até onde você tiver forças para lutar! Eu só posso dizer uma coisa, vale a pena!

domingo, 13 de março de 2011

Mude!

Há pessoas e pessoas! Pessoas que nascem, crescem e morrem no mesmo lugar, pessoas que já nascem sabendo sua vocação, o que querem ser quando crescer, pessoas que, logo cedo já decidem suas profissões e seguem naquele ramo até se aposentar, existem aqueles que dão o primeiro e o último beijo na mesma pessoa! Tem aqueles que permanecem com a mesma aparência, o mesmo corte de cabelo e que até usam o mesmo perfume por toda a vida! Pessoas metódicas... E, existem pessoas como eu. Que mudam de ideias, de planos, de endereço, de amores, de aromas, de cores, de tudo. Um dos verbos mais presentes na conjugação da minha vida, mudar, é de fato um divisor da espécie humana, há os que mudam e os que não mudam. Como não faço parte do primeiro grupo, estou aqui é pra falar do time das metamorfoses, com seus prós e contras, mudar é reinventar a cada mudança suas possibilidades, suas alternativas, sua sorte! Mudar é renovar sua energia, sua força, sua paixão... Mudar é não ter certeza de nada além de que, naquele momento, da mudança, você respeitou os seus desejos, as suas vontades, você teve coragem o suficiente para fugir dos padrões e ser o que você queria ser naquele momento! Mudar e mudar e mudar... Eis um dos segredos pra se alcançar o que se almeja, a realização pessoal, a felicidade incondicional: aceitar as mudanças, sim, aceitar! Tudo ao nosso redor muda o tempo todo, e não podemos nem devemos ser escravos das situações que julgamos ser eternas, a eternidade é um conto de fadas... Viver com base nos nossos julgamentos (errados na maioria das vezes) é um crime, a vida requer disposição, requer responsabilidade, requer dedicação! Seja, viva, mude, quantas vezes for necessário e saiba que jamais você irá se perguntar "e se...". Não há ensaios, tudo é sempre o grande espetáculo! A cada milímetro de ar que você respira, você segue sendo o protagonista da sua história no mundo, com a única diferença de que na vida, ao oposto da arte, você não segue roteiros, não tem diretores... Você segue seu instinto! Você e ninguém mais além de você é responsável pela sua trajetória, portanto não permita que a opinião e o julgamento alheio lhe impeçam de ser feliz! Por que o responsável por isso, também será você!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Um Baú...

Quanta coisa é possível se guardar em um baú. Lembranças, sonhos, desejos, objetos, memórias, livros, fotografias, receitas, coisas materiais ou não... Hoje, após quase um ano, remexi num destes baús da vida e, surpresa! Encontrei várias coisas, coisas que queria, coisas que detestei, coisas que me fizeram feliz e triste ao mesmo tempo, coisas que me mostraram um lado bom e ruim de mim mesma. Recordações... Aliás, diariamente me remeto a recordações. Seja por intermédio de pessoas, de objetos, de sabores, de aromas... Quantos baús interiores nós temos? Em que guardamos tantas coisas inúteis, sem sentido, sem objetivo. Acumular por dias, meses e até anos várias coisas que num determinado momento não fazem a menor diferença... Hoje, remexendo em um baú, me encontrei... Ou melhor, me reencontrei... Reencontrei uma mulher apaixonada, entregue, lúdica e sonhadora, quase não acreditei nos recortes de receitas e decorações que eu guardava como inspiração, e nem nos cartões que eu mesma confeccionava em ocasiões especiais, nas velinhas multicoloridas que eu usava no jantar, nos cadernos decorados com planejamentos educacionais, no livro de feng shui, no filme "O jardineiro fiel" (um dos meus preferidos) e até no dvd do The Corrs... E as decorações de natal? Que eu não fiz a menor questão de procurar no mês de dezembro que passou... Pastas, documentos, certificados... Certificados de todos os tipos, profissionais, emocionais e até certificados de burrice... Sim caros amigos... Como somos burros às vezes, uma burrice necessária que nos leva ao crescimento, ao desenvolvimento pessoal. Reencontrei-me nos trabalhos manuais, porque uma mulher moderna pode sim bordar uma linda toalha em ponto cruz, e era ali, em cada um daqueles pontinhos que eu estava naquele momento, nos moldes, nas fitas, de cetim, de juta, de papel, devidamente guardadas, nos convites... Foram tantos casamentos, formaturas, aniversários e cada um destes papéis estava guardado, o álbum de casamento dos meus pais que após a separação deles ficou comigo e agora que eles estão juntos novamente volta a fazer sentido. O que mais tinha neste baú era energia, era aquela carga emocional ali presente, pairando naquele espaço que por incrível que pareça não era tão grande assim! Talvez eu tenha demorado tanto pra estar frente a frente comigo mesma por covardia, por medo, por precaução... Acredito que pra tudo há um momento e o momento de esvaziar o baú e deixá-lo livre pra novas sensações foi hoje! Foi bom! Me deu energia pra fazer coisas que estavam adormecidas, mas que vieram à tona novamente. Por mais que o meu baú fosse físico e tenha sido esvaziado de forma lenta e saudosa é realmente necessário que de vez em quando façamos uma faxina em nossos baús interiores, para que estes possam ser preenchidos e esvaziados, sucessivamente... São estes momentos de encontros e reencontros conosco que nos centralizam, nos equilibram e fazem as coisas terem sentido... Aliás, a vida é um quebra cabeça, que aos poucos vai sendo montada, para daí, fazer sentido! C’est la vie...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Triagem.

s.f. Seleção, escolha, separação de alguns entre muitos. A vida requer que façamos triagens também. Selecionar, escolher, separar alguns entre muitos! Algumas pessoas, alguns amigos, alguns sentimentos, algumas crenças, alguns sonhos, desejos, profissões, ações, atitudes... A seleção é natural e necessária e é por isso que temos que nos propor a selecionar melhor tudo aquilo que acontece ao nosso redor! Li uma frase aparentemente anônima que dizia: Àquilo que não te trás à vida é pequeno de mais para ti! Não devemos de forma alguma nos contentar com pouco, aceitar pouco, tolerar certos atos, somos, cada um de nós, as pessoas mais importantes de nossas vidas e por isso devemos sim, fazer uma triagem, em tudo aquilo que nos rodeia, manter só o que é bom, só o que vale a pena, manter aquilo que nos fortalece, que nos alegra, que faz de nós pessoas melhores e não o contrário, selecionar é uma forma de ser responsável consigo mesmo e não permitir que nada nem ninguém enfraqueça seu espírito, sua energia! Não sabemos o dia de amanhã, a vida não é previsível, tudo muda o tempo todo! E é por esta razão que não podemos tolerar irresponsabilidade alheia, falta de respeito, falta de educação, oportunismo, desconfiança, falta de bom senso! Faça uma triagem nas suas coisas, nos seus medos, abandone de vez as suas inseguranças, jogue fora o mau humor, o preconceito, a preguiça, abrace causas nobres, lute pelos seus objetivos, defenda suas ideias, acredite no amor, viva! Viva de forma responsável e não aceite menos do que isso em troca da vida, nem pessoas, nem sentimentos nem situações que não tenham a ver com isso! Cada segundo é uma nova chance pra ter o "copo meio cheio e não meio vazio" Carpe Diem!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Ser ou estar!

Ser ou estar são apenas palavras com que afirmamos a existência, uma ação, um estado ou uma qualidade que atribuímos a uma pessoa, a uma coisa ou a um animal, verbos! Atribuir, porém, verbos aos sentimentos, ao estado de espírito, às convicções é possível? Imagino o quanto realmente é triste ser só! Estar só é bom, de vez em quando, em alguns lugares... Agora, ser só é no mínimo catastrófico! Não me refiro à solidão do amor... Que está longe de participar da minha reflexão, me refiro à solidão de energia, à solidão de vida, de gargalhadas, à solidão de música, à solidão de companhia para olhar vitrines, pra fazer fofocas, pra comer sorvete, pra comentar sobre os lugares legais, sobre as coisas bacanas que você está fazendo, sobre seus planos, sonhos, projetos, à solidão de compartilhar! De ter (e aí temos outro verbo), pessoas para compartilhar os momentos únicos da nossa existência... Estar só, entretanto, faz bem, vez ou outra, para a cabeça, alma, coração, estar só engrandece... Faz com que você reflita, se conheça, aproveite a si mesmo (a), estar só é realmente um teste de compatibilidade consigo mesmo... É a descoberta de si, de seus verdadeiros pensamentos, de seus verdadeiros desejos, de seus verdadeiros medos... Estar só é perceber ou não, o tamanho do seu potencial criativo, imaginativo, degustativo, olfativo, auditivo, curioso, etc... Estar só, por um tempo, em um lugar desconhecido, com absolutamente ninguém que você conheça, entra na minha relação de experiências que devem ser vividas antes de encontrar um grande amor, por exemplo, ponto. (Ponto porque o amor não entra nesta reflexão). Mas é quase que impossível, na minha concepção, viver uma relação com alguém se você não sabe se relacionar consigo mesmo. A vida é exigente. O auto-conhecimento que para mim não precisa de auto-ajuda e sim de auto-descobrimento é fundamental para a felicidade, por que daí você não corre o risco de cair naquela esmagadora estatística de gente que se sente só e infeliz, mesmo estando rodeadas de pessoas! A partir do momento em que se descobre o quão completos nós somos, mesmo estando sozinhos, descobrimos que estamos muito bem acompanhados!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Uma frase..

Tudo merece ser testado, inovado, modificado até, se necessário! Acomodação é estagnação, a vida é cíclica e temos que estar preparados para tudo que venha a acontecer em nosso ciclo!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Não faz sentido....

É engraçado como às vezes tenho tantas coisas pra dizer e não sei por onde começar, não sei a melhor maneira de me expressar, de exteriorizar sentimentos, vontades, desejos. Talvez pelo fato de eles estarem tão em mim é que fique difícil deixá-los sair assim, fluentemente. São tantos sentimentos ao mesmo tempo e sei que a maioria das pessoas também vivem estes conflitos, somos humanos, logo, imperfeitos. A vida nos exige tanto! Sucesso, carreira, família, aparência, são tantas "exigências" sociais que fica difícil não se deixar influenciar de vez em quando! São os terríveis conceitos que escravizam, que punem, que nos deixam com a pulga atrás da orelha, que nos fazem fazer coisas que no fundo não fariam diferença pra nós! É o "ter" ao invés do "ser"... Isso, por vezes, me faz ter preguiça das pessoas! Ao longo das nossas vidas conhecemos tantas pessoas e são tão poucas que fazem à diferença, que tem conteúdo, que entendem a importância do ser! Honestamente, não faz sentido ver tanta gente desnutrida de bom senso, de naturalidade, de leveza, de educação, gentileza, não compreendo a intenção de pessoas que não conseguem simplesmente viver e deixar a vida acontecer, a vida não é um jogo! Não estamos aqui pra ver quem tira mais vantagem, quem sai na frente, não se faz com os outros o que não queremos pra nós! Será que é pedir de mais? Pra humanidade optar em crescer espiritualmente? Evoluir, na melhor definição da palavra, se tornar melhor, pra si e para os outros... Na TV, nos jornais, na internet vemos o tempo todo o assustador desenvolvimento em todas as áreas, enquanto tem gente (aos montes) que joga lixo pela janela do carro!!! Que maltrata o garçom, que desperdiça água, que maltrata os animais, que não está nem aí pra nada! Que vive em função do seu próprio umbigo! Gente estúpida, oportunista! Já que não temos como mudar o comportamento alheio, temos que pelo menos aprender a nos proteger de pessoas assim, que acabam com nossa energia... Por isso uma das regras de 2011 é: Cruzou com um dedão destroncado? Corra Lola, corra.